Street League: Campeonato de skate como negócio

Compartilhe!

Street League Skateboarding (SLS) fundada em 2010 pelo skatista profissional Rob Dyrdek., uma empresa que trata campeonato de skate como um negócio. Entenda por que esse campeonato de skate é uma potência.

A elite do skate brasileiro, e mundial, como Luan Oliveira, Kelvin Hoefler, Thiago Lemos e outros, estão sempre presentes no evento e como o próprio nome já sugere, é uma liga de skate de rua, por isso eles criam uma skate plaza de concreto simulando a rua como ela é.

Essa liga cresceu, e cresceu rápido, especialmente quando a Nike entrou em 2013 e criou o SLS Nike SB World Tour, além de outras parcerias importantes como a SPoT – Skatepark of Tampa. A empresa é hoje responsável pelos eventos mais importantes do skate mundial, inclusive no Brasil, e na meca do Skate: Barcelona.

Campeões Brasileiros
Campeões Brasileiros – Luan e Kelvin

A organização conta também com os skatistas mais conhecidos, bem remunerados e de maior nível técnico do mundo. Além disso, eles pagam bem, muito bem! O valor em premiações chega na casa dos milhões de dólares. Um dos grandes nomes do Street League é o americano Nyjah Huston, o cara Lamborghini.

SLS - Fama e Dinheiro com campeonato de skate
Nyjah Huston – Street League Skateboarding – Fama e Dinheiro

A marca conta com diversas estratégias de rentabilização, como produtos licenciados e transmissão ao vivo, na tv e online, e também muita estratégia de marketing digital e com uso de aplicativos móveis.

    Leia também: 5 dicas de marketing digital sua skate shop

É, eles tratam o negócio como um negócio, talvez seja por isso que tem dado certo. Quem já conhece a cultura estadunidense sabe, um evento esportivo não é somente um evento, é um show! Esse é um dos core business do SLS.

Eles se utilizam de muita tecnologia para o evento, não tem planilha de Excel e nem papel amigo. Parece que foi desenvolvida uma tecnologia chamada ISX, Instant Scoring eXperience. Apesar de existir os 5 juízes oficiais, esse sistema, teoricamente, analisa passo a passo as manobras realizadas, checando níveis de perfeição, como por exemplo se foi acerto na primeira tentativa e vários outros critérios. Tudo isso ajuda a compor a nota do skatista. Dá pra acreditar? Um robô analisando manobras de skate.

Além disso, os juízes ficam com uma espécie de controle de mão, para dar a nota do atleta em tempo real e exibi-la no telão ao vivo ou online, o que é bem legal.

Sistema de avaliação SLS campeonato de skate
Joinstick de Controle de Notas do Street League.

Mas eu fico pensando se tem tanta tecnologia assim: por que não usá-la pra convidar o público que assiste a participar de alguma forma? Por que não deixar o público participar como juíz, porém com um peso inferior ao dos juízes especialistas?

O modelo de negócio do SLS ensina muito para nós sobre como fazer eventos ter ROI, ou seja, Retorno Sobre o Investimento. Os eventos presenciais não irão desaparecer NUNCA, entretanto, existem muitas limitações de crescimento em um evento físico. Pensando nisso, o que o SLS fez? Usou tecnologia para escalar seus eventos a um nível global e usou o ISX para melhorar o sistema de avaliações.

A boa notícia é que nós temos soluções tecnológicas parecidas, e até melhores em alguns aspectos. No SkateTake você é capaz de fazer eventos: presencial-digital ou somente digital. Em ambos com participação popular nas pontuações e também com juízes oficias, esses porém, com peso nas notas maiores que o público. Ou seja, trazemos o público não somente para assistir, mas para participar.

Além disso, publicidade direcionada na timeline de manobras e benefícios exclusivos pra quem participa.  Skatista busca peças de skate, peças baratas. Essa é uma forma de entregar valor ao skatista. E os simpatizantes gostam de usar marcas com conceito e bom preço, então por que não segmentar cada público e oferta?

No SkateTake também utilizamos recurso de câmera lenta do para ajudar os juízes e o público no momento da avaliação do campeonato de skate.

Essa é um forma de realizar eventos com sustentabilidade, buscando fortalecer a comunidade, mas também gerar resultados para seu negócio. É isso que o Street League Skateboarding nos ensina sobre como fazer um campeonato de skate.

Facebook Comments
News Reporter
Skatista desde os 14 anos de idade. Hoje com 34 anos está no mercado Tecnologia da Informação a mais de 16 anos, empreendedor na startup SkateTake e Digital Flow, empresa de inbound marketing.